Salto Alto Como Escolher

Salto Alto: Como Escolher?

Os saltos altos exibem todo o seu poder nos pés da maioria das mulheres, mas vamos apresentar as consequências, os problemas que ele pode causar e algumas dicas para usá-lo sem prejudicar sua saúde.

As loucas por sapatos podem certamente afirmar que amam de paixão os saltos altos e que não os largam por nada. É bem difícil encontrar uma mulher que não se sinta mais elegante e poderosa quando está no andar de cima. O problema é que o preço a ser pago por esse glamour é muito caro.

Muitas mulheres parecem já ter nascido de salto, conseguem andar rápido e até correr se for necessário. Elas se equilibram com facilidade em cima do acessório, seja médio ou com inacreditáveis 15 cm que mais parecem um prédio. Tudo bem, algumas possuem muita habilidade para se sustentarem com muito charme no andar de cima. E, verdade seja dita, uma mulher de salto realmente chama atenção.

Entretanto, alguns outros detalhes também chamam a atenção de especialistas que atendem casos de dores decorrentes ao uso de sapatos inadequados. A maioria esmagadora sofre os efeitos do item de beleza, mas até hoje não se deram conta de que a poderosa arma de beleza pode causar danos irreparáveis à saúde.

Especialistas explicam que não importa o tamanho do salto, a partir de dois centímetros os prejuízos começam a aparecer. Portanto não importa se o seus tenham de 3 a 10 centímetros, todos eles fazem com que o passo fique lento e curto. Segundo a ortopedista Cibele Réssio, especializada em tornozelos e pés, os efeitos aparecem em forma de dores na planta dos pés, que vira um abrigo de calos e também nos dedos que para se firmaram na superfície assumem formas semelhantes à garras. Em metade dos casos, a joanete está presente.

Se você é louca por sapatos não se convencerá facilmente, então pode surgir a pergunta: mas afinal, porque esses problemas acontecem?

Pense o seguinte, esse tipo de calçados não fazem jus à verdadeira forma dos nossos pés. Para se equilibrar, é preciso adequar o pé ao formato do sapato. Dessa forma, o peso que deveria ser dividido igualmente por toda a sola do pé, é concentrado somente em algumas partes, geralmente nos dois primeiros dedos. Perceba que a má distribuição de peso é a principal razão pela qual as dores aparecem.

Ainda não está acreditando nesse fato? Então, para comprovar essa verdade e mostrar que essa não é só mais uma matéria contra o uso de salto alto, vamos provar cientificamente as consequências danosas que ele oferece a saúde de quem o utiliza.

Há várias pesquisam que mostram as causas do uso de salto alto, entre umas das mais recentes, uma pesquisa britânica revelou que grande parte do público feminino já sabem que as dores nos pés são decorrentes do uso desse sapato. Realizado pela Faculdade de podologia, o estudo constatou que grande parte das mulheres começava a sentir dores com aproximadamente uma hora em cima do sapato. 20% das voluntárias sentiam dores em pouco minutos após calçarem o sapato em um momento onde tinham que ficar muito tempo em pé, dez minutos já era o suficiente. Quase 100% delas sofres as consequências do hábito.

Foram avaliadas mais de mil mulheres e cerca de 60 especialistas em podologia. Uma porcentagem considerável confessou que quando os pés estavam muito machucados, a ponto de não aguentar mais ficar de salto após horas dançando, tiravam o sapato e continuavam a festa descalças e, assim, iam de volta para casa. Quem nunca fez isso? Essa é uma história da vida real.

Pesquisadores explicam que as sensações dolorosas no pé e companhia ocorrem por conta da maneira com que o ele fica quando está no salto. Eles dizem que o fato de o membro não estar na sua forma natural, por muito tempo, muitas horas, muitos dias ou muitos anos, podem gerar dores insuportáveis que necessitem de tratamentos especiais para cuidar de doenças como a artrite, que fatalmente aparece nesses casos.

O salto exige que as mulheres tenham que se equilibrar no andar de cima, isso gera instabilidade e quem também sofre com isso é a coluna. Os principais sintomas acometem a região lombar, além de dores de cabeça que são consideradas o primeiro sintoma que algo está errado. As consequências não são nada bonitas de se ver como os pés deformados com o uso excessivo. E não para por aí, as dores se espalham pela panturrilha, calcanhar e nervo ciático.

É importante ressaltar que quanto maior o salto, maior a queda sabe?

Isso acontece em todos os sentidos, tanto na saúde, quanto na forma literal do tombo. Com a altura elevada, a inclinação é ainda maior, com isso o corpo tente a ir para frente e, para se equilibrar lá em cima, a gente força o corpo para trás. É aí que mora o problema, a falta de alinhamento da pélvis faz com que a coluna vertebral seja comprimida e assim tudo desanda.

Você já deve ter ouvido falar que usar salto alto diminui o bumbum, ao contrário do que muitos pensam, isso não é mito!

A explicação está na contração dos glúteos quando estamos lá em cima, a consequência é a forte dor no nervo ciático. A posição elevada, também atinge a batata da perna que fatalmente sofrerá o encurtamento do nervo por conta da forma que o pé assume no salto. Além de causar problemas na circulação, aparecem os inevitáveis inchaços. Esse é o motivo pelo qual algumas de nós não consegue mais usar uma sandália rasteira ou uma sapatilha. Pois o encurtamento do tendão de Aquiles faz com que a gente sinta dor na posição correta do pé.

  • Um dos pesquisadores, Mike O´Neil, chama a atenção para o uso de sapatos menores do que o seu número normal. Apertar seus dedinhos com frequência em números menores geram fraturas provindas dos nervos pressionados, artrite e, em algumas situações, a intervenção cirúrgica ou o tratamento à base de injeção de esteroides é a melhor solução. Segundo ele a moda não deveria falar mais alto que a saúde, mulheres deveriam avaliar os prejuízos permanentes desse hábito ao invés de optaram pela elegância e não por sapatos mais confortáveis para os pés.

Você tem unhas encravadas, calos, joanete, manchas ou pele grossa?

Se usa salto e não possui esses indesejados, pode comemorar, você é uma exceção à regra! Afinal, esses são velhos conhecidos das amantes do “saltão”. A frieira também dá as caras por aqui, quando há umidade nos pés. Como essa pesquisa foi realizada com mulheres britânicas, os resultados demonstram problemas que acontecem com elas. Entretanto, partindo do princípio de que é mulher é mulher em qualquer lugar, esses resultados também se aplica a nós.

Conheça o top 10 dos principais problemas que acometem o público feminino:

  • 1 – Bolhas – 55%
  • 2 – Calcanhares rachados – 45%
  • 3 – Olho de peixe – 28%
  • 4 – Calosidades – 24%
  • 5 – Unhas encravadas e frieiras – 20%
  • 6 – Joanetes – 13%
  • 7 – Problemas na articulação 11%
  • 8 – Artrite 9%
  • 9 – Odor excessivo (mais conhecido com chulé) 9%
  • 10 – Problemas musculares – 8%

Fonte: Patricinha esperta

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *